Pleroma heteromalla
Ipomoea hederifolia
Reserva
Mãe-da-Lua

Espécie anterior Próxima espécie

Operculina macrocarpa (L.) URB.

Família: Convolvulaceae
Aspecto geral: Trepadeira
Operculina macrocarpa
30/05/2018. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 1.

Achei esta trepadeira na planície da reserva. Ela entra em floração no fim das estação chuvosa e se destaca pelas flores quase brancas e muito vistosas. No nosso terreno, a espécie não é comum.

Esta planta e a sua prima, a Operculina hamiltonii, são popularmente chamadas de batatas-de-purga e são consideradas "medicinais": "..A raiz, em rodelas sêcas à sombra, a resina, a fécula, chamada goma de batata, e ainda mais as sementes, torrefactas e em infusão, aplicam-se nas constipações intestinais, hidropisia, sífilis, suspensão de regras e como preventivo de tôdas as doenças do aparelho digestivo.." (Braga 1976, p77).

Referências:
Braga 1976, p76ff;
Heine 1960;
Meissner 1869, p212 e tab. 74 (Operculina convolvulus).

Início da página

Operculina macrocarpa
28/05/2018. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 2.

Cálice e pedúnculo de O. macrocarpa.

Início da página

Operculina macrocarpa
28/05/2018. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 3.

A foto mostra a face abaxial de uma folha de O. macrocarpa. A folha é lobada, mas que o limbo não é completamente subdividido em partes distinctas.

Início da página

Plumier: Operculina macrocarpa
Desenho de Charles Plumier, 1756.

Figura 4.

O desenho acima é de Charles Plumier (1756), da sua obra "Plantarum Americanarum Fasciculus Quartus", tabla XCI fig. 1. A descrição original da espécie (Convolvulus macrocarpos) por Carolus Linnaeus foi baseada neste desenho (Heine 1960, Linnaeus 1759, p923).

As folhas no desenho são palmatipartidas, concordando com a minha foto (figura 3). Contudo, a ilustração em Meissner 1869 (Tab. 74) mostra folhas palmatisectas, e eu vi também exsicatas de O. macrocarpa no Reflora com folhas palmatisectas. Veja também a nota em Urban 1902, p344.

Início da página

A Operculina na África.

A Operculina macrocarpa é nativa da América do Sul, mas chegou até a África, talvez com o comércio de escravos. Em Ghana, a planta virou objeto da seguinte superstição: as suas sementes podem ser usadas para manufaturar uma braçadeira chamada 'abam'. Mulheres com filhos gêmeos costumam usar estas braçadeiras. Se uma mulher com 'abam' consulta um sacerdote tradicional ('fetish priest'), este pode adivinhar o futuro dos gêmeos: Um espirito dentro do 'abam' cochicha uma mensagem que o sacerdote traduz (Heine 1960).

Início da página