Campo Troupial - Icterus jamacaii
Brown Capuchin Monkey - Cebus apella
Associação
Mãe-da-lua
Início
Lista das aves
Mamíferos

Mamíferos da RPPN Mãe-da-lua
por Hermann Redies

Este é um relato preliminar dos mamíferos que vi na RPPN Mãe-da-lua, Itapajé, Ceará, entre 2006 e 2016. Quando há fotos ou outros dados, o nome da espécie é sublinhado, e uma página com detalhes ("página da espécie") pode ser acessada clicando o nome.

Para identificação das espécies, consultei Eisenberg and Redford 1999, Von Ihering 2002, e outros como citados no texto.

Por favor, respeitem meus direitos autorais.




Marsupialia: O "cassaco" Didelphis albiventris foi registrado várias vezes na RPPN Mãe-da-Lua. Esta espécie é bastante comum no Ceará.

Uma espécie de "mouse-opossum" (gambá-rato?) (Eisenberg e Redford, 1999, p. 57) foi encontrado na reserva Mãe-da-lua. Presento aqui detalhes sobre este pequeno bicho, que não consegui identificar ao nivel de gênero ou espécie. Possivelmente, temos ainda outros marsurpiais semelhantes. Esses animais têm o nome vernacular coletivo de "catitas".

Xenarthra: Há, na nossa reserva, vários desdentados (Edentata): o tamanduá (ou mambira) Tamandua tetradactyla, o qual come formigas e cupim, porém também ovos de pássaros (Von Ihering 2002); e pelo menos dois membros da família Dasypodidae, a saber o peba Euphractus sexcinctus, e o tatu-galinha Dasypus novemcinctus.

Chiroptera: Temos várias espécies de morcegos, entre outros os "vampiros", que são morcegos sugadores de sangue. Estes atacam não somente animais de grande porte, como cavalos (incluindo o cavalo do autor) e gado, mas também aves grandes como galinhas. Supostamente, podem ser um perigo para nossa população de Jacucacas (Sick 1997, p. 275).

Primates: Os primatas presentes na Reserva Mãe-da-lua são soim (ou sagüi, Von Ihering 2002) Callithrix jacchus e macaco-prego Cebus apella.

Carnivora: Até 2009, tinha muitas raposas (Cerdocyon thous) na região, e encontrei uma ou duas quase cada vez que dei um passeio na reserva. Porém, em 2010, os números destes animais diminuíram muito, talvez por conta de uma doença, e atualmente, quase já não há.

Há duas espécies de gato-do-mato. Uma é Felis yagouaroundi, o gato-mourisco. No fim de 2007 e início de 2008, vi repetidas vezes um animal adulto (provavelmente uma fêmea) com três jovens. A outra espécie tem o tamanho de um gato domestico e as cores da onça pintada (amarelo com manchas pretas). Isto é Leopardus tigrinus, uma espécie ameaçada de extinção, segundo IBAMA 2003. Os sertanejos chamam este animal de "gato-maracajá" ou às vezes "gato pintado".

Outro carnívoro é o guaxinim Procyon cancrivorus, cujos rastros característicos podem frequentemente ser vistos.

Numa única ocasião, vi, na madrugada, uma jaritacaca (ou cangambá, Von Ihering 2002), aparentemente Conepatus semistriatus (veja Eisenberg and Redford 1999, p; 291/292). Moradores velhos da região confirmaram que antigamente, estes animais foram as vezes avistados. Do outro lado, entre os jovens que perguntei, ninguem conhecia a jaritacaca.

Artiodactyla: Nos ultimos anos, tinha varios avistamentos de caititus Pecari tajacu na RPPN e em outros lugares da serra. Foram observados pequenos grupos com adultos e jovens. Eu tenho a impressão que os caititus aumentam, a pesar dos caçadores.

Segundo relatos unânimes dos vizinhos, há algumas décadas, veado era comum na Serra das Vertentes. Porém, os caçadores quase acabaram com eles. Desde que fundamos a reserve, a população de veado parece ter recuperado um pouco, e atualmente, estes animais podem às vezes ser vistos até perto da minha casa. A espécie é provavelmente veado-catingueiro Mazama gouazoubira. Porém, não tenho certeza.

Rodentia: O roedor mais visível é o preá.

Outro roedor é o punaré Thrichomys apereoides. Outrora, era muito comum na reserva, porém a caça tem diminuido muito a população. Parece que no passado, tinha também o mocó Kerodon rupestris, mas, desde que compramos a reserva em 2006, ainda não vi nem um só indivíduo.

As pequenas carcaças de preá, punaré e mocó são frequentemente ofertas na feira de Itapajé.

Provavelmente, há várias espécies de ratos da família Muridae na reserva, porém tenho sómente um registro documentado, a saber Wiedomys pyrrhorhinos.

Início da página