Orelha-de-onça
Ipomoea hederifolia
Associação
Mãe-da-Lua
Início
Contato
Aves
Mamíferos
Flora


Histórico e sócios
Plano de manejo



Histórico e sócios

A Associação Mãe-da-Lua foi fundada em Julho de 2006 por Hermann Redies e Rebeca de Alcântara e Silva. No estatuto social da associação, escrevemos:

Hermann Redies, Johanna Maria Redies, Martin Redies

Artigo 2: A Associação tem por finalidades

a) Preservação e proteção da flora e fauna nativa do Brasil, mediante a criação de uma reserva ecológica;

b) Educação ambiental;
...

Sócios: Em 2011, Rebeca mudou-se para outro estado, ficando impossibilitada de continuar no projeto. Então, os filhos de Hermann entraram na Associação: Johanna Maria Redies, advocada, e Martin Redies, estudante de Engenharia Civil. No presente, Hermann é presidente e representante legal da Associação Mãe-da-Lua, e Johanna é vice-presidente.

Aquisição de terras: Compramos as terras da reserva, um total de 764 hectares, entre 2006 e 2007. Em Julho de 2009, nossa reserva foi oficialmente reconhecida pelo ICMBio como RPPN (Portaria 58).

Atividades de 2006 até 2015: Trabalhamos para proteger a reserva contra incêndios, contra caçadores e contra a invasão por animais domésticos como porcos, cabras e cachorros.

Essas são algumas das nossas atividades:

  • Criação e manutenção de trilhas em quase todas as partes da reserva;
  • Vigiar a reserva, patrulhando pelas trilhas, principalmente, para prevenção à caça;
  • Presença permanente de um sócio da Associação Mãe-da-Lua ou de um vigia no nosso escritório ao lado da RPPN;
  • Anúncios na radio local ("Radio Atitude" de Itapajé e "Radio Retiro") contra caça, e sobre queimadas e o perigo de incêndios florestais;
  • Palestras sobre a reserva nas escolas da vizinhança e na comunidade.

Várias instituições de ensino manifestaram interesse em colaborar com a nossa RPPN em prol da educação ambiental. No obstante, não temos a infra-estrutura (centro de visitantes, etc.) adequada para receber turmas de estudantes, e no presente, o grande potencial da RPPN para educação ambiental não está sendo aproveitado.

Desde 2009, a Polícia ambiental BPMA (Ceará) nos oferece apoio. A companhia de Sobral visitou a reserva e suas redondezas frequentemente e assistiu de maneira decisiva na prevenção aos incêndios e à caça (blog). Em 2010 e 2014, o ICMBio (CR5) ajudou em conflitos com caçadores e com vizinhos que tentaram usar a RPPN como pastagem para cabras (blog). Em 2015, a Polícia Militar de Itapajé realizou ações contra a caça nas redondezas da reserva (blog). Em 2016/2017, o IBAMA fiscalizou queimadas ilegais próximas à nossa Reserva (blog 1, blog 2). Sem o suporte dado por polícia, ICMBio e IBAMA, a situação da RPPN Mãe-da-Lua seria muito mais complicada.

No total, as medidas para proteger a reserva foram eficazes. Apesar de algumas situações críticas (blog 05/12/2011, blog 14/11/2013), não houve incêndios grandes. A maioria dos caçadores retirou-se da reserva, se bem que alguns poucos ainda persistem. Os números de jacu estão aumentando.

Inicialmente, o projeto foi financiado por nós mesmos, sem doadores externos. Infelizmente, as nossas contribuições tiveram que parar no fim de 2011. Em 2013/2014, tivemos pela primeira vez recursos externos: A Fundação Grupo Boticário de proteção à natureza era patrocinador do nosso projeto "Preservação do jacu-verdadeiro (Penelope jacucaca) e de outras espécies ameaçadas na RPPN Mãe-da-Lua...".

Início da página


Plano de manejo

O plano de manejo descreve a RPPN e esboça projetos futuros. Sem contratar consultores externos, nós elaboramos este documento importante entre Novembro de 2011 e Janeiro de 2012, com gastos de, aproximadamente, 600 (seiscentos) reais no total. Em maio de 2012, o ICMBio homologou o plano (Portaria 63 do 24/05/2012).

Baixar plano de manejo da RPPN Mãe-da-Lua.