Orelha-de-onça
Ipomoea hederifolia
Associação
Mãe-da-Lua
Início
Contato
Aves
Mamíferos
Flora

Três barracas (tocaias, hides) para observar animais silvestres,
usadas na RPPN Mãe-da-Lua e na Fazenda Canaã.
Tocaia móvel
Torre de observação
Barraca permanente próximo a uma nascente
Tocaia na lagoa
08/04/2006; Fazenda Canaã, Pentecoste, Ceará, Brazil. 200 mm f2.8 lens.

Figure 1. A caixa no canto superior esquerdo é uma das minhas barracas (ou hides, tocaias, econderijos) móveis. Aqui, está em cima de uma plataforma de apoio, em água de 30 cm de profundidade, na lagoa da Fazenda Canaã. A barraca tem 1m de largura, e 1,20m de altura. É feita principalmente com madeira compensada, e pode facilmente ser desmontado e mudada para outro local.

Início da página
Torre de observação de animais silvestres
08/04/2006; Fazenda Canaã, Pentecoste, Ceará, Brazil.

Figure 2. Esta pequena barraca é montada numa estrutura de ferro que antes suportava um catavento. A cabeça de um observador sentado na cabina é de cerca de 5m acima do solo. Muitas aves não desconfiam da torre, supostamente, porque não prevêem perigo nesta altura. Fiz algumas das minhas melhores fotografias acima desta torre, que foi a obra competente de um perito no assunto, a saber do meu amigo Jonas, de Pentecoste-CE.

Início da página
Barraca para observação de animais silvestres na RPPN Mãe-da-Lua
21/02/2010; Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé, Ceará, Brazil.

Figure 3. Barraca de observação na serra da RPPN Mãe-da-Lua. Cerca de 7 m atrás dela (não visível na foto), há uma nascente com água permanente, que na época seca é visitada por muitos animais. Uma boa parte das fotos mostradas neste site foram feitas aqui. Os jacus verdadeiros passam regularmente por muito perto (2-3 metros), e os macacos já saltaram no telhado da barraca, enquanto eu estava dentro. A estrutura mede 1.5X1.5 metros, e é feita de varas, com um telhado de telhas.

Mas nada é perfeito, nem a minha melhor tocaia: está num ambiente sômbrio, e a falta de luz solar torna fotografar difícil, mesmo se o alvo fica bem na minha frente. Não uso flash, pois isso ia certamente perturbar os animais. Então, tenho que esperar até alguma luz do sol atingir o chão nos arredores da barraca, e até o animal a ser fotografado se desloca para um ponto ensolarado. Cedo ou tarde, isso pode acontecer, por exemplo, aqui.

Início da página