Pleroma heteromalla
Ipomoea hederifolia
Reserva
Mãe-da-Lua

Espécie anterior Próxima espécie

Macaco-prego

Nome científico: Cebus libidinosus. 

Família: Cebidae.
Macaco-prego (Cebus libidinosus)
20/10/2010; Reserva Mãe-da-Lua,Itapajé-CE.

Figura 1.

Este local fica perto de um olho d'água na serra da RPPN Mãe-da-Lua. Eu tenho uma pequena barraca aqui, para me ocultar e observar os animais que visitam a nascente para beber. Às vezes, eu disperso milho para os animais silvestres nesta área.

A foto mostra cerca de 20 macacos. A população de Cebus libidinosus em toda a Serra das Vertentes é maior, talvez 40-60 animais. Eles se movem juntos, ou dividem-se em grupos menores. Quando eles vêm para o olho d'água, como aqui, eles ficam uma hora ou duas, comem todo o milho que acham, bebem água, descansam e depois seguem em frente. Quase todas as aves temem os macacos e desaparecem quando estes chegam.

Início da página

Macaco-prego (Cebus libidinosus)
20/07/2010; Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 2.

O macaco-prego está perto da extinção no Ceará. No entanto, a espécie não está listada como ameaçada, provavelmente por causa de sua enorme área de ocorrência (a maior parte da América do Sul, Eisenberg and Redford 1999), e porque é mais comum em outras regiões.

Nossa população de Cebus libidinosus parece estar prosperando, e em 2010, vi várias mães com bebês (foto). Mas o bando é, provavelmente, isolado de outras populações de macacos-pregos ainda sobrevivendos. Temo que, a longo prazo, o acasalamento entre parentes próximos poderia comprometer a saúde de futuros gerações de Cebus libidinosus na nossa RPPN.

Início da página

Macaco-prego (Cebus libidinosus)
22/08/2008; Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 3.

Os vizinhos da reserva me contaram que, no passado, os macacos-pregos em nossa região foram caçados como alimento. Não ficaria muito surpreso se ainda hoje, alguns dos caçadores aqui comem macacos, ou atiram neles so para se divertir. Ocasionalmente, um macaco-prego pode ser visto em cativeiro, como animal de estimação.

Mas o macaco da foto acima não está em cativeiro. Eu fiz esta foto da minha barraca, com o macaco sentado a poucos metros de distância de mim. Tenho muitas fotos como esta, de animais próximos do meu esconderijo. É interessante ver como os macacos-pregos reagem à presença de um ser humano na barraca. Eles percebem que há algo incomum, por causa dos cliques da máquina fotográfica, e da movimentação no interior. Muitas vezes, um ou mais deles se aproximam para investigar, e até já pularam sobre o telhado da barraca enquanto eu estava lá dentro. Outros vieram tão perto, nos galhos de uma árvore próxima, que eu podia quase tocá-los, e tentaram olhar para o interior da barraca. Macacos-pregos são cautelosos e desconfiados, mas alguns deles, às vezes, se deixam carregar pela sua própria curiosidade.

Início da página