Campo Troupial - Icterus jamacaii
Associação
Mãe-da-lua
Início
Lista das aves
Mamíferos

Gavião-bombachinha-grande
Accipiter bicolor
Bicoloured Hawk
Família: Accipitridae

Subespécie local: Accipiter bicolor pileatus, occorendo no Brasil oriental e em paises vizinhos (Clements 2007). RPPN Mãe-da-lua.

Sinóminos: Sparvius bicolorVIEILLOT 1817;  Falco pileatusTEMMINCK 1823

Vi o Accipiter bicolor várias vezes na RPPN Mãe-da-lua, sempre na planície, onde a vegetação predominante é Caatinga arbórea secundaria.

A primeira vez, no dia 02/04/2008, observei, brevemente, duas aves de rapina em uma pequena área aberta na Caatinga, perto do chão. Elas fugiram ao notar a minha presença, porém, consegui gravar parte de uma vocalização, e, mais tarde, com base nesta gravação, a espécie foi identificada como Accipiter bicolor.

A segunda vez foi no dia 21/09/2010, na estação seca, quando ouvi muitas vocalizações altas de um grupo de piririguás Guira guira na vegetação ao redor de um açude. Quando me aproximei para investigar a causa do tumulto, vi claramente um gavião-bombachinha-grande sentado no ramo de uma árvore pequena, perto do chão.

Finalmente, na primeira parte da estação chuvosa de 2012, encontrei um casal destes gaviões, nidificando na RPPN Mãe-da-lua. A vegetação no lugar do ninho foi Caatinga arbórea secundária, de mais ou menos 30 anos de idade, com árvores relativamente altas, em particular com angico Anadenanthera colubrina e pau d'arco Tabebuia impetiginosa. O ninho, que tinha um diâmetro de 50-60 cm, era localizado na copa de um angico jovem, numa altura de mais ou menos 10 metros. As fotos mostradas aqui foram tiradas perto do local do ninho.

Veja também Cantos e chamadas!

Início da página
Bicolored Hawk Accipiter bicolor
23/02/2012; RPPN Mãe-da-lua, Itapajé, Ceará, Brasil. 300mm f2.8 lens.
Figura 1. A imagem mostra um dos dois Accipiter bicolor que vi perto do ninho. A foto está um pouco superexposta, mas a coloração da plumagem é bem visível. O indivíduo tem as cores típicas de Accipiter bicolor, mas com uma exceção: As retrizes não são barradas (compare com Mata et al. 2006, p. 120/121). Isto não parece ser um artifício da fotografia, porque normalmente, o desenho barrado das retrizes é muito saliente, e deveria notar-se na foto, até se esta foi tirada em circumstâncias dificeis.

No wikiaves, achei mais uma foto de um Accipiter bicolor sem retrizes barradas, veja WA255042 (Silva, A.M. 2010).

Início da página

Gavião-bombachinha-grande (Accipiter bicolor)
11/03/2012; RPPN Mãe-da-lua, Itapajé, Ceará, Brasil. (c) H. Redies.
Figura 2. Isto é o outro indivíduo que vi perto do ninho. Partes da foto são escuras demais, porém, o padrão barrado das retrizes se nota ainda assim. Veja também figura 3. O peito e a barriga desta ave mostram um desenho indistinto e irregular de finas listras transversais, e de manchas, de cor cinza, branca ou ferrugínea. As calças são ferrugíneas.

Início da página
Gavião-bombachinha-grande (Accipiter bicolor)
11/03/2012; RPPN Mãe-da-lua, Itapajé, Ceará, Brasil. (c) H. Redies.

Figura 3. Vista ventral do rabo da ave mostrada na figura 2. Este padrão é típico para Accipiter bicolor: As coberteiras inferiores da cauda são brancas, e as retrizes exibem uma ponta escura, e três largas barras transversais escuras. Compare com Mata et al. 2006, p. 120/121.

Início da página