Pleroma heteromalla
Ipomoea hederifolia
Reserva
Mãe-da-Lua

Espécie anterior Próxima espécie

Veado-catingueiro

Nome científico: Mazama gouazoubira (?) 

Família: Cervidae.
Veado (Veado)
01/01/2010; Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE. © Hermann Redies

Figura 1.

No dia primeiro de janeiro de 2010, este veado veio beber água num açude da RPPN Mãe-da-Lua, enquanto eu estava numa tocaia, no outro lado do açude, esperando por algo interessante. O ano começou bem.

Início da página

Veado (Mazama gouazoubira)
24/02/2017. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 2.

Um pequeno veado, gordo e bonito, e sua mãe na estação das chuvas de 2017. Esta foto foi batida por uma câmera automática montada em uma trilha da Reserva Mãe-da-Lua.

Nestas mesmas trilhas, a câmera registra frequentemente cachorros, especialmente a noite. É impossível dizer se estes cachorros caçam por conta propria ou acompanham caçadores. De qualquer maneira, eles são um grande perigo para veados, especialmente para fêmeas prenhas ou com jovens, que não podem fugir tão rapidamente.

Início da página

Veado (Mazama gouazoubira)
02/10/2017. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 3.

Um macho (na frente, com chifres) e uma fêmea, na beira de um olho d'água da reserva. A foto foi batida por uma câmera automática de poucos metros de distância.

Início da página

Veado-catingueiro (Mazama gouazoubira (?))

Identificação da espécie: Os veados da RPPN Mãe-da-Lua têm, aproximadamente, o tamanho e o peso de uma cabra adulta (25-30 kg) e são de cor vermelha ou cinza/amarela. A espécie é provavelmente o veado-catingueiro (Mazama gouazoubira), mas não tenho 100% certeza.

Situação no Ceará: No estado do Ceará, o veado está perto da extinção. Como no caso do jacu-verdadeiro, a ameaça principal é a caça. A destruição do habitat também poderia ser um problema, mas a espécie se adapta a Caatinga arbórea secundária (veja abaixo), que é ainda bastante comum no Ceará.

Hábitat: Na RPPN Mãe-da-Lua, eu vi veados ou suas pegadas por toda a reserva, perto dos olhos d'água e dos açudes, na planície e na serra, em caatinga arbórea secundária e na mata da serra. Repetidamente, observei um veado forrageando na área semi-aberta cercando um açude da RPPN, e até vi um veado comendo caju embaixo de um cajueiro a somente 50 metros da sede da Mãe-da-Lua.

Comportamento: De vez em quando, estes animais podem ser avistados na plena luz do dia (Fig. 1), depois do amanhecer ou antes do anoitecer. Normalmente, são solitários, mas já encontrei pares também, talvez durante o período do acasalamento.

Os moradores na vizinhança dizem que, antigamente, veados foram às vezes vistos pastando junto com ovelhas ou gado.

O veado não fica permanentemente no mesmo local. Ao contrário, ele parece migrar de um lugar para outro dentro de um território bastante extenso. Às vezes, pode ser visto em um determinado local (por exemplo, perto de um açude) durante uma ou duas semanas, e depois não aparece lá durante vários meses. Infelizmente, as migrações podem levar o veado para lugares fora da RPPN, onde não há proteção contra caçadores.

População na RPPN Mãe-da-Lua: Parece que os nossos esforços em prol da prevenção a caça têm um efeito. Não é possível contar os individuos na reserva, mas notamos atualmente mais veados do que nos primeiros anos da reserva. Moradores também afirmam que nas redondezas da reserva, avistar um veado torna-se menos raro.

O declínio da caça na reserva e no seu entorno não é só mérito nosso. Uma grande parte deste sucesso é devido às ações da Polícia ambiental CPMA (Ceará) e do ICMBio nas redondezas da Mãe-da-Lua. Além disso, vizinhos na Serra das Vertentes proibiram a caça nas suas fazendas, e isso também contribuiu muito.

Início da página