Pleroma heteromalla
Ipomoea hederifolia
Reserva
Mãe-da-Lua

Espécie anterior Próxima espécie

Dicliptera mucronifolia

Família: Acanthaceae.
Bibliografia: Côrtes and Rapini 2013
Dicliptera mucronifolia
18/06/2017; Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE. Câmera Moto G5.

Figura 1.

Na estação das chuvas em 2017, centenas destes arbustos cresceram em algumas áreas da reserva, por exemplo, perto do pé da serra.

ID por Marcelo Carvalho no Grupo Identificação Botânica do facebook.

Início da página

Dicliptera mucronifolia
21/06/2017. Reserva Mae-da-Lua. Câmera Motorola G5.

Figura 2.

Segundo Côrtes e Rapini (2013), o androceu das espécies do gênero Dicliptera é caracterizado por "..2 estames exsertos; anteras bitecas, tecas oblíquas, geralmente desiguais.." (Côrtes and Rapini 2013, p259). O andoceu de D. mucronifolia corresponde a essa descrição. A pequena foto no lado direito ilustra que os estames são realmente exsertos (com as anteras fora da corola).

Início da página

Dicliptera mucronifolia
24/09/2017. Serrote-do-Meio, Itapajé-CE.

Figura 3.

A flor de D. mucronifolia é ressupinada: sua posição é invertida em relação ao estado inicial no seu desenvolvimento (Gonçalves and Lorenzi 2011, Côrtes and Rapini 2013, p260). O tubo da corola é virado mais ou menos meia volta (180°) ao redor do seu proprio eixo (foto).

Ressupinação existe também em muitas espécies de orquídeas. Charles Darwin propôs uma explicação: a posição invertida da flor poderia facilitar a visita de insetos e assim melhorar a polinização (Arditti 2003, p95). Isso poderia igualmente valer para a nossa Dicliptera mucronifolia, porque o lábio inferior (originalmente superior) é bem mais largo e vistoso que o lábio superior (originalmente inferior).

Veja também: Hill 1939.

Início da página

Dicliptera mucronifolia
18/06/2017. Reserva Mãe-da-Lua, Itapajé-CE.

Figura 4.

Folha de D. mucronifolia.

Início da página